25 de novembro de 2015

Crea Alagoas denuncia “Falso fiscal” à Polícia Federal

Após protocolar a representação, o presidente Fernando Dacal se reuniu com o superintendente da PF Omar Gabriel

O presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Alagoas (Crea-AL), Fernando Dacal, esteve na manhã desta quarta-fera (21), na Superintendência da Polícia Federal (PF), no bairro de Jaraguá, para oficializar a denúncia contra o falso fiscal.  Como o Crea Alagoas é uma autarquia federal e os golpes do falso fiscal ocorrem desde 1999, Dacal resolveu levar o caso à PF. Após protocolar a representação, ele se reuniu com o superintendente Omar Gabriel para falar do golpe.

Presidente protocolou denuncia na manhã desta

Dacal protocolou denuncia na manhã desta quarta

“Estamos tentando livrar a população desse bandido, que age há mais de 15 anos em Alagoas. Nas últimas semanas, recebemos denúncias que ele andou praticando o crime. Esse é um caso que não só acontece aqui em nosso Estado. Em Pernambuco esse fato já foi registrado. O indivíduo está vivendo disso. Agora oficializamos a denúncia, a polícia federal irá cuidar desse problema”, frisou Dacal.

O advogado do Conselho, Marcelo Viana, destacou que o bandido deve responder, a princípio, pelos crimes de estelionato e falsidade ideológica. “O indivíduo age  utilizando a identidade de um dos nossos funcionários, lesando a integridade e o profissionalismo do nosso fiscal. Assim é caracterizado o crime de falsidade ideológica, seguido de estelionato, onde o “‘falso fiscal” obtém para si vantagem ilícita  causando prejuízos alheios”, falou Marcelo.

A última vítima

O engenheiro agrônomo identificado como L.F.C. foi a última vítima do”‘falso fiscal”, que agiu pela última vez no dia 7 de janeiro. L.F.C . não caiu no golpe porque desconfiou do farsante. “Ele chegou na minha casa e falou com minha esposa, se identificando como James Wilton, do Crea. Acusou que minha obra estava com problemas e eu teria que pagar uma multa de R$ 1.500,00 ou resolver na amizade, entregando-lhe mil reais. Não fiz o pagamento e procurei o Crea para reclamar. Foi assim que descobri que isso era um golpe”, disse o engenheiro agrônomo.

Desde 1999, quando ocorreu o primeiro caso, o Crea-Alagoas já fez denúncias às polícias dos municípios de Rio Largo,  Marechal Deodoro e Maceió.

Valor exorbitante

É importante destacar que  o valor cobrado pelo bandido é oito vezes maior, ou até mais, que o Crea-AL cobra.  “É importante que as pessoas saibam que essa quantidade pedida por ele é muito alta. Quando uma obra é encontrada com irregularidade, o máximo que cobramos é R$ 200,00″, acrescentou o presidente.  A instituição orienta que quando alguém desconfiar de qualquer pessoa, ligue para a central de denúncias do conselho através do número 2123 0869.