25 de fevereiro de 2021

Confea irá pautar a Comissão de Desenvolvimento Regional do Senado

   O presidente do Confea, eng. civ. Joel Krüger, reuniu-se com o senador Fernando Collor (Pros-AL) nesta quarta-feira (24/2), dia em que o parlamentar foi eleito para presidir a Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR). Também participaram da audiência a eng. civ. Rosa Tenório, presidente do Crea-AL, e o eng. civ. Fernando Dacal, ex-presidente do Regional e atual diretor de Benefícios da Mútua – Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea.

Durante a audiência, o senador explicou que debates na CDR terão o ser humano como ponto central. “Vamos fazer um trabalho para reduzir disparidades regionais, reduzir as distâncias entre as pessoas que são vulneráveis e aquelas que não são”, pontuou. Na oportunidade, Collor compartilhou a lista de assuntos que está aberta a sugestões. “Precisaria da contribuição dos senhores para incluir temas na agenda das 70 audiências públicas que, neste ano, serão realizadas quinzenalmente, às segundas-feiras”, propôs ao presidente Krüger, que se mostrou receptivo à iniciativa.

“Daremos contribuições porque toda essa pauta está plenamente de acordo com o artigo 1º da nossa lei, a 5.194 de 1966, que diz que as profissões de engenheiro e agrônomo são caracterizadas pelas realizações de interesse social e humano”, afirmou Krüger, lembrando que a Agenda 2030 e os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável também norteiam a atuação do Conselho Federal. “Pelo menos metade dos temas está diretamente ligada com a Engenharia e na outra parte a Engenharia é atividade complementar. Política habitacional e de irrigação, Acordo de Paris, saneamento básico, indústria e transportes, por exemplo, tudo isso é Engenharia, é Agronomia”, acrescentou.

Ao final do encontro, as lideranças da Engenharia se colocaram à disposição do Legislativo para participar ainda de discussões técnicas em Brasília ou em Alagoas, por meio do Conselho Regional, e convidaram o parlamentar a participar de sessões plenárias no Confea, a quem foi solicitado também atenção especial ao projeto de lei em tramitação no Senado sobre a Engenharia como carreira de Estado. “É um projeto de abrangência nacional e prioritário para os profissionais ligados ao Sistema Confea/Crea”, frisou o presidente Krüger.

A comissão

Os senadores Fernando Collor e Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) foram escolhidos para comandar os trabalhos da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) no biênio 2021-2022.

Ao ser eleito por aclamação nesta quarta-feira, Collor destacou o desafio que será retomar os debates aprofundados das comissões temáticas durante a pandemia da covid-19, para diminuir as desigualdades regionais e fortalecer o turismo, principais objetivos da CDR. Se em 2020 o Congresso auxiliou o Executivo para que pudesse agir legalmente no combate à doença, para este ano ele defende a retomada da discussão, nas comissões, de temas essenciais.

“Em 2021 o enfrentamento do vírus e de suas consequências continuará a merecer nossa atenção, mas precisamos retomar o debate de questões estratégicas, que permanecem sem a solução adequada. As desigualdades regionais são um exemplo claro e se manifestam nos mais diversos setores da infraestrutura econômica, saneamento básico, passando por acesso à saúde e educação de qualidade e inúmeros outros temas. A redução das desigualdades regionais e a promoção do desenvolvimento humano precisam estar na pauta das reformas estruturais, tão necessárias para o país avançar. O pacto federativo e a reforma tributária são excelentes oportunidades para criar instrumentos que permitam a todos os brasileiros desfrutarem de padrão semelhante de prosperidade e de qualidade de vida”, opinou o presidente da comissão.

Collor também sugeriu que a CDR faça um ciclo de debates ao longo desses dois anos para discutir temas que auxiliem na superação das desigualdades regionais e promova o turismo brasileiro. As audiências públicas do ciclo abordarão temas diversos, desde internet 5G, pacto federativo, reforma tributária, aviação regional e indústria da pesca até faixas de fronteira. Segundo o parlamentar, os assuntos são tão amplos porque o desenvolvimento regional “transversaliza” toda a administração pública, e para resolver questões ligadas ao assunto, é preciso “abordar temas afeitos ao desenvolvimento como um todo”.

Equipe de Comunicação do Confea
Com informações da Agência Senado